O que são cadeias de redireccionamento?

Uma cadeia de redireccionamento ocorre quando existem vários redireccionamentos consecutivos de um URL para outro antes de chegar ao destino final. Isto pode acontecer quando o URL A redirecciona para o URL B, que por sua vez redirecciona para o URL C, e assim por diante, antes de a página final ser carregada. Este fenómeno prolonga o processo de carregamento de uma página Web e pode ter efeitos adversos tanto na experiência do utilizador como na otimização dos motores de busca.

Como e porquê surgem as cadeias de redireccionamento

As cadeias de redireccionamento surgem frequentemente devido a renovações de sítios Web, alterações na estrutura do URL ou fusão de diferentes páginas Web. Por vezes, os redireccionamentos são implementados sem remover ou atualizar os redireccionamentos existentes, dando origem a cadeias. A falta de coordenação entre as equipas também pode contribuir para a criação involuntária destas cadeias. A manutenção de um sítio Web sem uma visão geral clara de todos os redireccionamentos pode resultar numa complexa rede de redireccionamentos difícil de gerir.

Porque é que as cadeias de redireccionamento são um problema?

Cada redireccionamento adicional numa cadeia requer pedidos HTTP adicionais, o que aumenta o tempo de carregamento da página. Isto pode ser especialmente notório para os utilizadores móveis ou para aqueles com ligações à Internet mais lentas. Um tempo de carregamento mais longo pode levar à frustração dos utilizadores, podendo levá-los a abandonar o sítio Web antes de este estar completamente carregado.

O efeito das cadeias de redireccionamento na SEO

Os motores de busca, como o Google, utilizam a velocidade de carregamento como um fator de classificação. Tempos de carregamento mais longos podem, portanto, ter um efeito negativo na posição de um sítio Web nos resultados de pesquisa. Além disso, qualquer redireccionamento na cadeia pode reduzir a quantidade de equidade de ligação passada (o valor transferido de uma página para outra). Isto significa que o destino final de uma cadeia de redireccionamento longa pode não receber o valor SEO total, o que pode afetar a visibilidade orgânica dessa página.

Potenciais problemas de experiência do utilizador (UX)

Para além de aumentar o tempo de carregamento, as cadeias de redireccionamento também podem causar confusão e frustração aos utilizadores. Quando um visitante é redireccionado várias vezes, isso pode levar à incerteza quanto à fiabilidade do sítio Web. Este facto pode minar a credibilidade de um sítio e desencorajar os visitantes de regressar. Além disso, alguns navegadores ou definições de rede podem limitar o número de redireccionamentos, o que pode fazer com que as páginas não sejam carregadas para alguns utilizadores.

Em resumo, as cadeias de redireccionamento são um obstáculo significativo ao desempenho e à experiência ideais do sítio Web. Identificar e resolver estes problemas é essencial para manter um sítio Web rápido, acessível e optimizado em termos de SEO.

Identificação de cadeias de redireccionamento

A deteção de cadeias de redireccionamento requer a utilização de ferramentas específicas que possam seguir e visualizar os caminhos dos redireccionamentos num sítio Web. Algumas opções populares incluem:

  • Ferramentas de auditoria de SEO: Muitas plataformas de SEO tudo-em-um oferecem a capacidade de analisar um sítio Web inteiro e apresentar relatórios sobre cadeias de redireccionamento. Estas ferramentas podem identificar e mapear automaticamente cadeias complexas.
  • Extensões do navegador: Existem várias extensões para navegadores Web que permitem ver os códigos de estado HTTP dos pedidos, incluindo quaisquer redireccionamentos que ocorram quando uma página é carregada.
  • Software de rastreio: podem ser configurados rastreadores Web dedicados para pesquisar um sítio Web e comunicar todas as cadeias de redireccionamento. Estas ferramentas são particularmente úteis para sítios Web maiores, com milhares de páginas.

A utilização destas ferramentas permite aos administradores obter uma imagem clara da forma como o tráfego é encaminhado através do seu sítio e onde existem cadeias potencialmente indesejadas.

Exemplos de cadeias de redireccionamento comuns

Alguns cenários comuns em que podem ocorrer cadeias de redireccionamento são

  • HTTP para HTTPS: Uma página é primeiro redireccionada de HTTP para HTTPS e depois para uma nova página dentro do ambiente seguro.
  • Problemas com a barra final: Um URL sem uma barra final é redireccionado para o mesmo URL com uma barra, o que leva a outra página.
  • Conteúdo obsoleto: Um URL antigo leva a um URL ligeiramente menos antigo, que eventualmente redirecciona para a página atual.

Como se resolvem as cadeias de redireccionamento?

A resolução das cadeias de redireccionamento exige uma abordagem sistemática:

  1. Utilize as ferramentas acima referidas para identificar todas as cadeias de redireccionamento existentes no sítio Web. Documentar a cadeia completa de redireccionamentos para cada cadeia encontrada.
  2. Determine a rota mais direta para cada conjunto de redireccionamentos. Isto implica identificar o destino final de cada cadeia e planear o percurso mais curto possível até ele.
  3. Actualize os redireccionamentos de modo a que cada URL original aponte diretamente para o destino final, eliminando todos os passos intermédios desnecessários.
  4. Teste cuidadosamente os novos redireccionamentos para se certificar de que funcionam corretamente e que os destinos finais carregam corretamente sem redireccionamentos indesejados.

Analisar cadeias de redireccionamento

Ao analisar as cadeias de redireccionamento, é importante compreender a origem e o destino de cada redireccionamento, bem como a razão pela qual cada etapa da cadeia foi implementada. Isto pode fornecer informações sobre a forma como o sítio cresceu e mudou ao longo do tempo e pode ajudar a identificar a forma mais eficiente de otimizar a estrutura. O objetivo é minimizar a cadeia de redireccionamentos, melhorando o tempo de carregamento do sítio e optimizando o desempenho de SEO.

Planeamento da nova estrutura de redireccionamento

Ao reestruturar os redireccionamentos, é crucial ter um plano claro. Comece por mapear todos os URLs actuais e as respectivas páginas de destino. Em seguida, identifique o percurso mais direto para cada cadeia de redireccionamento, com o objetivo de eliminar qualquer passo redundante. Para tal, é necessário um conhecimento profundo da arquitetura do sítio Web e da relação entre as páginas. Crie uma folha de cálculo para documentar os caminhos de redireccionamento antigos e novos, de modo a fornecer uma visão geral clara das alterações que serão efectuadas.

Implementação de redireccionamentos directos

Depois de planear a nova estrutura de redireccionamento, é altura de proceder à implementação. Este processo varia consoante o tipo de servidor ou o sistema de gestão de conteúdos (CMS) utilizado. Por exemplo, para os servidores Apache, os redireccionamentos são frequentemente definidos no ficheiro .htaccess, enquanto para os servidores NGINX, os ficheiros de configuração são modificados. Para plataformas CMS como o WordPress, existem plugins disponíveis que facilitam a gestão dos redireccionamentos. Certifique-se de que qualquer URL antigo redirecciona diretamente para o destino final sem quaisquer passos intermédios.

Ensaios após ajustamentos

Uma vez implementados os novos redireccionamentos, é essencial testar exaustivamente. Utilize ferramentas como verificadores de código de estado HTTP para confirmar que todos os redireccionamentos funcionam corretamente e conduzem diretamente ao destino pretendido. Anote também as ligações quebradas ou as páginas que deixaram de estar acessíveis devido às alterações. Esta é também uma boa altura para comparar os tempos de carregamento dos itinerários actualizados com os antigos para medir o impacto das alterações.

Dicas para evitar futuras cadeias de redireccionamento

  • Auditorias regulares: Realizar auditorias periódicas ao sítio Web para detetar e eliminar redireccionamentos desnecessários ou indesejados.
  • Documentação: Mantenha registos precisos de todas as alterações à estrutura do URL e redireccionamentos associados num documento central.
  • Planeamento antecipado: Ao lançar novas páginas ou reestruturar o sítio Web, planeie cuidadosamente os redireccionamentos para garantir percursos directos para o destino.

Melhores práticas para a gestão de redireccionamentos

  • Utilize redireccionamentos 301 para alterações permanentes para informar os motores de busca de que a página foi movida permanentemente.
  • Limitar a utilização de redireccionamentos: tente minimizar o número de redireccionamentos necessários, utilizando, sempre que possível, ligações directas para as páginas de destino correctas.
  • Monitorizar o desempenho: Utilize ferramentas para monitorizar o desempenho e os tempos de carregamento do sítio Web, para que quaisquer efeitos negativos dos redireccionamentos possam ser resolvidos rapidamente.

Como é que mantém os seus redireccionamentos limpos e eficientes?

A manutenção de uma estrutura de redireccionamento limpa e eficiente é um processo contínuo. O controlo e a revisão consistentes são essenciais. Utilize uma ferramenta ou plug-in de gestão de redireccionamentos para controlar todos os redireccionamentos activos. Elimine regularmente os redireccionamentos não utilizados ou duplicados e certifique-se de que todos os redireccionamentos servem um objetivo claro e legítimo. Seguir estas práticas mantém o sítio Web acessível, tem um melhor desempenho nos motores de busca e proporciona uma melhor experiência aos visitantes.

Senior SEO-specialist

Ralf van Veen

Senior SEO-specialist
Five stars
Obtenho um 5.0 no Google em 75 revisões

Há 10 anos que trabalho como especialista independente em SEO para empresas (nos Países Baixos e no estrangeiro) que pretendem obter uma classificação mais elevada no Google de uma forma sustentável. Durante este período, prestei consultoria a marcas de renome, criei campanhas internacionais de SEO em grande escala e orientei equipas de desenvolvimento globais sobre otimização de motores de busca.

Com esta vasta experiência em SEO, desenvolvi o curso de SEO e ajudei centenas de empresas a melhorar a sua capacidade de serem encontradas no Google de uma forma sustentável e transparente. Para isso, pode consultar o meu portefólio, referências e colaborações.

Este artigo foi originalmente publicado em 11 Abril 2024. A última atualização deste artigo foi em 11 Abril 2024. O conteúdo desta página foi escrito e aprovado por Ralf van Veen. Saiba mais sobre a criação dos meus artigos nas minhas directrizes editoriais.